terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Dulcival Guedes


Já faz quase três meses que meu marido partiu em direção a inóspita selva peruana para evangelizar e construir um local de culto para os indígenas e ribeirinhos da região.Nesses três meses, ele tem trabalhado muito, suportado a ausência da família, dormido em cabanas, tirado madeira para a casa, se alimentado de carne de caça,  viajado dias de canoa, padecido enfermidades, sofrido de muitas maneiras...
Há quem pergunte: porque ir, então? Não é mais fácil ficar? deixar que outro se sacrifique?
É sim. É mais fácil. Mas temos um compromisso com Deus, e Ele não nos chamou para desfrutarmos de facilidades, Ele nos chamou para o serviço e para o sacrifício. Não fomos chamados para ser felizes, fomos chamados para pregar o Evangelho de Cristo, mesmo que para isso tenhamos que sofrer e chorar. Vale a pena. Tudo por Ele e para Ele. Dia 09 foi o aniversário de 6 anos de nossa filha única Eduarda, eu perguntei a ela o que ela gostaria de ganhar de aniversário e ela me respondeu que só queria o papai de volta, eu disse a ele que papai estava a serviço de Cristo Jesus, fazendo uma grande obra. ela respondeu, se ele está trabalhando para Jesus, então tudo bem.
Isso resume tudo, amados. Se o sacrifício é para Jesus, então tudo bem.
Força, meu amor, estamos com você!


GOOGLE +
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. Quando parecer quer estão sós, apenas parece. Há uma comitiva de anjos para ajudar vocês. O TRABALHO NÃO É VÃO

    ResponderExcluir