segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A Missão Imperativa da Igreja





















Por que fazer missões deve ser a missão da igreja? Por que a igreja deve levar a mensagem do evangelho para os de perto e os de longe? Por que o território de ação da igreja deve estender se até aos confins da terra?
Em primeiro lugar, porque o homem sem Cristo está perdido. Não há salvação sem Cristo. Nenhuma religião pode salvar. Nenhuma religião pode nos reconciliar com Deus. O mundo está saturado de muitas religiões, enquanto a humanidade perece. Não é verdade que toda religião é boa e que todo caminho leva a Deus.
Há caminhos que ao homem parecem direito, mas ao fim são caminhos de morte. A ignorância não é outra porta para o céu. Quem sem lei pecar,
sem lei perecerá. A não ser que a igreja anuncie o evangelho a todos os povos não haverá esperança de salvação para eles. Só Cristo é a porta do céu, só ele é o caminho que conduz a Deus. Só ele é o mediador entre Deus e os homens.

Em segundo lugar, porque a obra de Cristo já foi consumada. A salvação é uma obra planejada por Deus, consumada por Cristo e aplicada pelo Espírito Santo. Tudo já foi feito. Não resta mais nada por fazer. Cristo já morreu e
ressuscitou. Ele já enviou o Espírito Santo para capacitar a igreja e já deu a ela o evangelho e o poder para proclamá-lo. Agora, cabe à igreja ir ao mundo e anunciar que o banquete da salvação está pronto.
Em terceiro lugar, porque não há outro evangelho a ser pregado a não ser o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo. Fazer missões não é pregar cultura, religião nem doutrinas de homens. Muitos têm pregado um outro evangelho,
um evangelho híbrido, sincrético, místico; um falso evangelho, um outro evangelho. Mas, só há um evangelho; ele não pode ser mudado nem
adulterado ao nosso bel prazer. Não podemos tirar nada dele nem acrescentar nada a ele. Toda mensagem que tira o foco da cruz de Cristo e da
sua obra perfeita e consumada na cruz é um falso evangelho que engana os homens em vez de leválos à fonte da vida eterna.
Em quarto lugar, porque só a igreja de Cristo está credenciada a pregar o evangelho. Só há um evangelho e só há uma agência do reino credenciada a pregar o evangelho a toda a criatura, em todo o mundo, a igreja de Cristo. Se nós nos calarmos, seremos tidos como culpados. A igreja é o método de Deus para alcançar o mundo. Nenhuma embaixada humana, por mais nobre que seja tem competência para anunciar as boas novas da salvação. Nem mesmo os anjos
podem desincumbir-se dessa gloriosa tarefa. Ela é nossa e de mais ninguém.
Em quinto lugar, porque o tempo de proclamar o evangelho é agora. Devemos fazer a obra de Deus enquanto é dia, enquanto temos oportunidade, enquanto as portas estão abertas. Só temos essa geração para evangelizar os nossos contemporâneos. Se falharmos nessa empreitada, teremos fracassado em nossa missão.
Em sexto lugar, porque a evangelização dos povos é uma ordem imperativa, intransferível e inadiável do Senhor Jesus. O universo inteiro se curva diante da autoridade absoluta do Senhor Jesus. Ousaríamos nós desobedecê-la? Se até os
demônios obedecem à sua voz, seríamos nós os únicos a fazer pouco caso dela? Não temos escolha, fazer missões não é opção da igreja, é sua responsabilidade inalienável.
Em sétimo lugar, porque a conversão daqueles por quem Cristo morreu traz glória ao nome de Deus. Fazemos missões para que os povos venham e se prostrem aos pés de Jesus e dêem a Deus toda a glória devida ao seu nome. A glória
de Deus deve ser a nossa motivação mais elevada para evangelizarmos todas os povos, tribos, e nações.


Encontrei esse maravilhoso texto na internet e resolvi postá-lo porque ele representa brilhantemente o meu pensamento a respeito a obra missionária. Ele foi escrito pelo Rev. Hernandes Dias Lopes.
kelem gaspar
GOOGLE +
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário